Matthew Inglis, pesquisador em educação matemática pela Universidade de Loughborough, escreveu uma resenha do livro The trials of evidence-based education: the promises, opportunities and problems of trials in education recentemente publicado por Stephen Gorard, um dos pesquisadores em educação mais fartamente financiados no Reino Unido atualmente.

Gorard é um forte crítico das pesquisas em educação em geral e tem uma postura muito pragmática, que resulta em artigos com poucos apronfundamentos teóricos e filosóficos e focados em questões do tipo "what works". Entretanto, a sua atuação também é questionada entre acadêmicos como sendo superficial e suas criticas como sendo vazias, por não oferecerem alternativas convincentes.

Inglis é um pesquisador muito versátil em termos de métodos. Em sua maioria, seus artigos usam métodos quantitativos mas nem sempre seguindo o design experimental. Tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente e fiquei surpreso com o seu conhecimento e sua atitude inclusiva frente a diferentes abordagens de pesquisa.

Na revisão, Inglis critica fortemente as posições de Gorard que, neste livro, atacamente com ferocidade um tanto desproporcional as pesquisas em educação que usam métodos quantitativos. A parte que me chamou atenção no texto, na verdade, são as explicações que Inglis oferece ao rebater os argumentos colocados por Gorard em seu livro. Inglis oferece algumas interpretações muito claras e elucidativas para certas práticas experimentais e, aparentemente sem querer, acaba ensinando muito sobre o tópico. Uma leitura muito recomendada!

About this post

Date: 28 Nov 2018

Author: Leonardo Barichello

Tags:

português pesquisa

rss

Subscribe to my RSS:
barichello.coffee/rss